A Colômbia foi um pilar fundamental na construção da Ibero-América e deve desempenhar um papel estratégico na integração regional

Cartagena, 29 out (SIG). A Secretária Geral Ibero-Americana, Rebeca Grynspan, afirmou que a Colômbia foi de fundamental importância para a construção da região e o seguirá sendo na sua integração. A diplomata ressaltou o fato do país celebrar a Cúpula pela segunda vez, bem como os resultados destes eventos da Comunidade Ibero-Americana que hoje agrupa 22 países.

Qual será a contribuição desta 25ª Cúpula para a Ibero-América?

Nosso objetivo é construir uma agenda comum. Há poucos exemplos no mundo de reuniões presidenciais ininterruptas ao longo de um quarto de século. Que a nossa tenha chegado até aqui demonstra a coesão da Comunidade Ibero-Americana e a sua união na diferença. Agora queremos aproximar a Cúpula dos cidadãos, e por isto escolhemos o tema “Juventude, Empreendedorismo e Educação”, eixos fundamentais para o sucesso da região nas próximas décadas.
 
O que pensa sobre o fato da Colômbia receber a Cúpula pela segunda vez?

A Colômbia foi um pilar fundamental na construção da Ibero-América e deve desempenhar um papel estratégico na integração regional.

Desde o plebiscito de 2 de outubro há a necessidade de superar a incerteza, e a Cúpula demonstra apoio da Comunidade Ibero-Americana ao povo colombiano na sua busca pela paz.

A Cúpula deixará ações concretas para os jovens ibero-americanos?

Sim, e muito importantes. Aprovaremos o Pacto pela Juventude, que contempla 21 compromissos concretos para o empoderamento econômico, social e político dos jovens. Também apresentarmos o Campus Ibero-América, a maior iniciativa de mobilidade acadêmica da história da região, que busca oferecer 200.000 bolsas de estudo e pesquisa no exterior e com a qual buscamos melhorar a empregabilidade dos jovens.

Qual o balanço destes 25 anos de Cúpulas?

Extremamente positivo. As Cúpulas contribuíram à aproximação das relações políticas e diplomáticas entre os países e para a assinatura de diversos tratados, acordos e convenções internacionais. Um bom exemplo é a Convenção Multilateral Ibero-Americana de Segurança Social.

No âmbito econômico, realizamos mais de cinquenta congressos, fóruns de negócios e encontros empresariais que fortaleceram os laços comerciais e a cooperação entre os países. Entre 2007 e 2013 realizamos mais de 8.800 projetos e Cooperação Sul-Sul, o que nos torna o líder mundial deste modelo de colaboração.

Por último, desempenhamos um papel fundamental no desenvolvimento e valorização da cultura ibero-americana através dos “Programas Iber”, que desenvolveram mais de quinhentas iniciativas de preservação artística e cultural na região.

O que você poderia contar sobre a próxima Cúpula?

As Cúpulas funcionam com presidência rotativa exercida pelo país anfitrião (Colômbia, neste momento).

Pelo menos dois países estão interessados em sediar a Cúpula de 2018, mas a próxima sede só será anunciada após a decisão em Cartagena.

Cumbre 2016 Conferencia Iberoamericana rms Foros y Encuentros Cooperación Iberoamericana Sala de Prensa Colômbia Atención al Participante